Profissões Cervejeiras – Dono de Bar Cervejeiro

Quem nunca sonhou em ser dono de bar cervejeiro e poder tomar tudo a vontade?

Para quem já é dono de bar, sabe que não é bem assim que funciona, pois como qualquer negócio você precisa gerar lucro, existe horário a cumprir, fatalmente terá funcionários e terá que pagar impostos.

Ok, eu entendo que quem paga o valor de varejo, e de repente poder pagar o valor de atacado parece tentador, mas não se deixe iludir. O “glamour” todos conhecem, então eu prefiro comentar neste texto sobre as dificuldades e desafios do dono de bar cervejeiro.

Veja uma lista de dicas para quem pensa em abrir um bar:

[tab name=”AFINIDADE”] Abrir um bar cervejeiro apenas por estar “na moda” e enxergar uma oportunidade de ganhar dinheiro “fácil” é pura ilusão. Caso não tenha afinidade pelas cervejas, dificilmente estará fazendo algo que gosta, logo a chance de ser feliz no que faz são menores. Felicidade (ou a falta dela) é algo que transparece no dia a dia com o cliente.[/tab]

[tab name=”PRODUTOS”]

Neste caso estamos falando de bar cervejeiro, então nada mais justo que os produtos serem focados em cervejas especiais/artesanais.[/tab]

[tab name=”PÚBLICO ALVO”]Definir o público alvo, irá determinar diversos outros pontos, como localização, decoração, tipos de produtos, forma de comunicação, etc. Apenas para acrescentar, normalmente o público das cervejas artesanais são homens (ainda maioria) e mulheres(alcançando os homens), jovens (20 a 40 anos) e de diversas classes sociais (de AAA a C).[/tab]

[tab name=”LOCALIZAÇÃO”]:Assim como qualquer negócio, localização é um dos pilares para o sucesso. De maneira geral eu recomendaria bairros mistos (comerciais e residenciais), com maior tendência a comercial, cujo poder aquisitivo seja consideravelmente bom (classe média para cima). Considere local para estacionamento (próprio, vallet ou disponibilidade de estacionar nas proximidades).

Na contramão do óbvio, vejo alguns empresários abrindo as portas em locais que teoricamente não possui as características acima. Alguns com sucesso e outros nem tanto. Caso a sua intuição enxerga como oportunidade, faça uma pesquisa de mercado, talvez você esteja certo. E desde já boa sorte!

[/tab]

[tab name=”INFRAESTRUTURA”] Lembre-se você precisará de mesas, cadeiras, geladeiras, copos, pratos, talheres e todos os demais apetrechos para que um bar funcione. Entretanto tão importante quanto, é necessário considerar o custo das instalações do caixa (como impressora fiscal), da cozinha (que depende da complexidade do seu cardápio), do estoque (afinal você quer manter a cerveja em um local seco e fresco para ser bem armazenada) e ainda se considerar o sistema de chopp, reserve um bom capital. Não é barato, mas o público sabe que faz diferença. Ah, não se esqueça em tempos de muito calor, ninguém aguenta ficar sem ar condicionado. Procure o melhor custo benefício de médio e longo prazo.[/tab]

[tab name=”COZINHA/CARDÁPIO”]

Há público para todos os tipos de pratos, desde que seja feito com qualidade e tenha um preço justo. O tradicional são os petiscos, que variam conforme região do país. Entretanto lanches, ou outras guloseimas são também bem-vindas pelo público. Prova disso são a presença dos food trucks na porta de muitas lojas cervejeiras. Ter este tipo de opção, faz com que o investimento em uma cozinha seja nula ou baixíssima, entretanto grande parte da sua renda deixará também de existir.

 

[/tab]

[tab name=”DESPESAS E CUSTOS FIXOS”]

Lembre-se dos custos fixos como aluguel, água, luz, limpeza, contador, funcionários, impostos. Além disso, você terá que fazer um fundo de reserva para eventuais obras de manutenção e para atualizar a decoração de seu bar assim que achar necessário. Dos custos fixo, eu destaco o aluguel (e condomínio dependendo do local). Normalmente este é o maior dos custos fixos, e caso não tenha para os primeiros 12 meses, uma reserva técnica, que chamamos carinhosamente de “banha para queimar”, pode ser a âncora que afunda o empreendimento.

 

[/tab]

[tab name=”HORÁRIOS”] Aqui não tem jeito, horário de bar nunca é agradável para quem trabalha. Dependendo do público e proposta da casa, você terá que considerar dois turnos. Isso, obviamente onera ainda mais os custos fixos.[/tab]

 

[tab name=”SÓCIOS”] Ter sócios podem ser um alívio para a questão dos horários, mas lembre-se, além de confiança, tenha muita, mas muita organização. A confiança é algo que uma vez perdida, dificilmente se conquistará novamente.[/tab]

[tab name=”FORNECEDORES”]Tenha bons fornecedores. Isso quer dizer que eles possuem preço competitivo, entregam no prazo e prazo de pagamento razoável. Cultivar um bom relacionamento com eles, pode ser um grande diferencial para ambos. Lembre-se “uma mão lava a outra” e “nunca sabemos quando vamos precisar”.[/tab][end_tabset]

Caso alguém tenha aberto algum bar, me conte sua experiência!

E se precisar, conte comigo!

[tab name=”Sobre o autor”]

Denny Ueda

Denny Ueda é Beer Sommelier e mestre em estilos formado pela ABS Instituto da Cervejaalém de ter uma vasta experiência profissional no ramo cervejeiro. Já foi proprietário da loja virtual Estação Cerveja, trabalhou na Cervejaria EikBier como consultor de negócios, na Wtrends como coordenador de projetos e atualmente possui uma empresa de consultoria, treinamentos e prestação de serviços vinculados a cerveja, a Plan Beer. [/tab] [end_tabset]

 

Comments

  • Vitor Xavier 28 de abril de 2017 at 11:02

    Não tem glamour…não é nada fácil (ainda mais na atual conjuntura). Quando se tem um pequeno negócio, a luta é diária e praticamente solitária. A questão do aluguel e ponto são cruciais…tem uma loja/bar em um ponto de excelente localização (apesar de o estacionamento ser um problema), mas é restrito (tamanho, layout) e o dilema atual é ficar em um ponto de 5 anos ou mudar para um ponto com mais possibilidades…mas vamos que vamos!

    Abraço!