Datas Comemorativas – Hoje é Dia da Cerveja Brasileira

A cerveja no Brasil apesar de muito popular hoje, sofreu grandes dificuldades para chegar a ilha de Vera Cruz.

Com medo de perder o poder de venda de seus vinhos os portugueses retardaram a vinda da cerveja até 1808, quando foi trazida pela família real portuguesa vinda de mudança para o Brasil. Relatos históricos afirmam que o rei consumia muito esta bebida sagrada.

Logo com a vinda do rei Dom João, ele decreta a abertura dos portos às nações amigas, abolindo o monopólio comercial luso. A vida econômica muda radicalmente. O séquito real amplia a demanda de bens de consumo e aumenta as despesas públicas. O comércio se diversifica com a inundação de produtos estrangeiros suntuários e o príncipe toma medidas de incentivo à indústria que mais tarde são revogadas.

Tempo depois, em data aproximada de 1830 se inicia a produção de cervejas no Brasil, como era muito rudimentar a técnica de como era feita, ganhou nome genérico de “Cerveja Marca Barbante” que tinham um grau tão alto de fermentação que, mesmo depois de engarrafadas, produziam uma enorme quantidade de gás carbônico, criando grande pressão. A rolha era, então, amarrada com barbante para impedir que saltasse da garrafa. Refrescante e de baixo teor alcoólico, a cerveja foi aos poucos conquistando popularidade no Brasil. Era também, conhecida como “cerveja de cordão” na região Nordeste.

E como cresceu essa boa e velha bebida em nossa terra, hoje temos grandes cervejarias como a Baden Baden, Colorado, Eisenbahn, Wals, Dama, entre tantas outras que competem e muitas vezes até superam cervejas importadas com grande tradição.

Por isso nada mais justo do que criar um dia em homenagem a nossa cerveja, o DIA DA CERVEJA BRASILEIRA.

Parabéns a todos que produzem essa maravilha que é orgulho nacional.

Muito bares participam deste grande dia com promoções em cervejas nacionais e eventos especiais.

para mais informações acessem:

https://www.facebook.com/diadacervejabrasileira

Se também quiser saber um pouco mais sobre a história da cerveja brasileira basta olhar abaixo a história cronológica.

Bom chega de papo e bora tomar uma boa breja brazuca.

Cheer a todos!

Cronologia

1836 – 27 de outubro – a primeira notícia sobre a fabricação de cerveja no Brasil é de um anúncio publicado no Jornal do Commercio, Rio de Janeiro.

1885 – Nasce a primeira fábrica, no bairro da Água Branca em São Paulo, a Antarctica Paulista. Depois de uma fase dedicada à fabricação de gelo e produtos alimentícios, passa a fabricar cervejas.

1888 – Um imigrante suíço, Joseph Villiger, acostumado ao sabor das cervejas européias, resolveu abrir seu próprio negócio começando a fazer cerveja em casa. Villiger inaugurou a “Manufatura de Cerveja Brahma Villiger & Companhia”. A manufatura foi inaugurada com uma produção diária de 12.000 litros de cerveja e 32 funcionários. A origem da palavra Brahma é uma referência ao Deus hindu.

1890 – A Antarctica aumenta seu quadro de funcionário para 200 e sua capacidade de produção é de 40 mil hectolitros/ano.

1891 – Em 11 de maio, o Presidente Marechal Deodoro da Fonseca, assina o decreto oficializando a Sociedade Anônima da Antarctica.

1893 – A Empresa Zerrener, Bülow & Cia assume o controle acionário da Companhia Antarctica Paulista, tendo como sócios majoritários os Srs. Antonio Zerrener e Adam Ditrik von Bülow, fundadores da Companhia Antarctica Paulista.

1894 – Uma nova sociedade deu prosseguimento à precursora iniciativa de Joseph Villiger. No mesmo local onde havia nascido a Brahma, estabeleceu-se a empresa cervejeira Georg Maschke & Cia.

1899 – Joseph Villiger, da Brahma, adquire a “Cervejaria Bavária” e registra a marca Franziskaner-Bräu, apelidada de “franciscana”. A nova empresa aperfeiçoou a fabricação da cerveja, importou equipamentos, patrocinou bares, restaurantes e artistas.

1904 – A Antarctica adquire o controle acionário da “Cervejaria Bavária”. Em 12 de agosto nasceu a Companhia Cervejaria Brahma, resultante da fusão entre a Georg Maschke & Cia Cervejaria Brahma e da Preiss Häussler & Cia. Cervejaria Teutônia. A produção de chope em tonéis chega a 6 milhões de litros e a distribuição conta com 9 depósitos situados no centro do Rio de Janeiro. Neste momento, foram disponibilizadas 25.000 ações à participação pública.

1911 – A Antarctica inaugura, na cidade de Ribeirão Preto no interior de São Paulo, sua primeira filial.

1916 – Visita de Santos Dumont a fábrica da Antarctica.

1921 – É firmado contrato de venda da Cervejaria Guanabara à Brahma. A Cervejaria Guanabara (antes Germania), foi uma das mais antigas do país.

1934 – No carnaval a grande novidade foi o lançamento da cerveja Brahma em garrafa. A Brahma Chopp passou a ser a cerveja mais consumida do país e alcançou 30 milhões de litros de cerveja produzidos.

1943 – Com extrato forte e encorpado, é lançada a Brahma Extra.1945 – É constituída a Cerveja Polar pela Antarctica.

1953 – É constituída a Cerveja Serramalte.1954 – A Antarctica inaugura sua Maltaria no Jaguaré em São Paulo. A Brahma aos50 anos já tem 6 fábricas e 1 Maltaria.

1956 – É constituída pela Antarctica a Dubar S.A. – Indústria e Comércio de Bebidas

1960 – Em 75 anos de história, a capacidade de produção de cervejas e refrigerantes da Antarctica cresceu cerca de 100 vezes, atingindo 3,9 milhões de hectolitros/ano. A Brahma inaugura sua nova filial em Agudos, interior de São Paulo, antiga Companhia Paulista de Cerveja Vienenses.

1961 – O controle acionário da mais antiga cervejaria do País, a Cervejaria Bohemia é adquirido pela Companhia Antarctica Paulista. A Bohemia foi fundada em 1853 em Petrópolis, no Rio de Janeiro.

1962 – A Brahma inaugura mais uma filial na cidade do Cabo, em Pernambuco.

1965 – Iniciam-se os trabalhos das primeiras revendas exclusivas Brahma, constituídas em sua maioria por antigos funcionários da empresa.

1968 – A Brahma inaugura a sua Estação Experimental de Cevada no Rio Grande do Sul para testar as novas variedades de cevada cervejeira e estudar suas adaptações ao solo e clima da região. A Antarctica inaugura duas novas fábricas (Manaus e outra em Minas Gerais).

1971 – A Brahma adquire a fábrica Astra S.A e conquista uma forte liderança para fabricação e distribuição de seus produtos no Norte e Nordeste do Brasil.

1972 – Antactica adquire o controle acionário da Cervejaria Polar no Rio Grande do Sul, e a Cervejaria de Manaus S.A – Cerman. A Brahma associa-se à Fratelli Vita e introduz três marcas de bebidas sem álcool: a Sukita, o Guaraná Fratelli e a Gasosa Limão. Foi nesse ano também que a Brahma Agudos lança a Brahma Chopp e a Brahma Extra em lata de folha de flandres.

1973 – Antarctica adquire a Cervejaria Pérola – Caxias do Sul (RS) e a Companhia Itacolomy -Pirapora (MG). São constituídas as filiais em Goiânia (GO), Montenegro (RS), Rio de Janeiro e Viana (ES). Ainda, é criada a Sociedade Agrícola de Maués S.A, para processar sementes de guaraná e é formada a Fazenda Santa Helena, para pesquisa e plantio de guaranazeiros.

1975 – Construída pela Antarctica a sua filial no Rio Grande do Sul.

1976 – Construída pela Antarctica a sua filial em Teresina no Piauí.

1977 – A Brahma lança sua linha de refrigerantes. A Antarctica amplia a sua Maltaria em São Paulo e adquire uma área de 14,32 hectares em Paulo de Frontim (PR) para pesquisa e experimentação agrícola com a cevada cervejeira.

1978 – A Brahma lança em Curitiba (PR) o primeiro Curso de Cervejeiro Prático da América Latina. A Antarctica dá início a sua primeira franquia de refrigerantes e inaugura uma Filial no Rio de Janeiro.

1979 – A Antarctica inicia as suas exportações para a Europa, Estados Unidos e Ásia.

1980 – A Antarctica atinge 16,4 milhões de hectolitros/ano e adquire o controle da Cervejaria Serramalte com suas fábricas de Getúlio Vargas e Feliz, no RS, e da Companhia Alterosa de Cervejas, em Vespasiano, em Minas Gerais. Iniciam-se as obras da fábrica associada Arosuco – Aromas, Sucos e Concentrados S.A, no Rio de Janeiro.

1980 – A Brahma adquire o controle acionário das Cervejarias Reunidas Skol Caracu S.A.

1982 – A Antarctica inaugura sua unidade de recebimento, armazenagem e beneficiamento de cevada cervejeira na cidade de Lapa no Paraná.

1983 – Início da produção dos produtos Antarctica na filial de Teresina (PI).

1984 – Firmado acordo da Brahma com a PepsiCo Internacional para fabricação, comercialização e distribuição do refrigerante Pepsi Cola no Rio de Janeiro, além de operar três fábricas no Rio Grande do Sul.

1985 – O jornal alemão “Frankfurter Allgemeire Zeitung” destaca a Brahma como a 7ª empresa de cerveja do mundo. Iniciam-se as construções da fábrica da Antarctica em João Pessoa (PB).

1987 – É inaugurada pela Brahma uma unidade piloto para o desenvolvimento de produtos no Laboratório Central no Rio de Janeiro. É adquirida a Fábrica de Refrigerantes Refinco.

1988 – Inicia-se os primeiros Cursos de Cerveja Caseira no Brasil por Norberto Herrero.

Inauguradas as fábricas Cebrasp – Companhia Cervejaria Brahma em Jacareí, São Paulo e a Fábricas de Cervejas Antarctica, no Rio de Janeiro com capacidade de produção de 3,5 milhões de hectolitros/ano. Inicia-se a produção na fábrica Antarctica de João Pessoa, na Paraíba.

1989 – São constituídas mais 4 unidades fabris na Antarctica: Filial Jaguariúna/SP, Filial Canoas/RS, Filial em Cuiabá/MT e Filial Rio Grande do Norte.

1990 – O Banco Garantia adquire o controle acionário da Companhia Cervejaria Brahma. A Brahma lança o “Projeto Brahma para Reciclagem” que foi pioneiro na abordagem da reciclagem frente à comunidade.

1991 – Inauguração das fábricas da Antarctica do Rio Grande do Norte e Canoas no Rio Grande do Sul. É adquirida também, uma nova área de 40,2 hectares em Lapa (PR) para incremento dos trabalhos de pesquisa com cevada cervejeira nacional.

1992 – A Brahma Chopp é exportada para a Argentina.

1993 – É inaugurada a filial Jaguariúna da Antarctica e constituída uma nova filial no Ceará.

1994 – A fábrica Antarctica do Rio Grande do Norte é inaugurada e a Brahma inaugura uma filial em Lages/SC e a fábrica em Luján na Argentina e adquire a Companhia Anônima Cervecera Nacional na Venezuela. Mudança da Administração Central da Brahma para São Paulo.

1995 – Os produtos Antarctica passam a ser fabricados em mais duas novas fábricas: em São Luis, no Maranhão e em Cuiabá, no Mato Grosso. A Miller Brewing
Company faz uma joint venture com a Brahma para distribuir a Miller Genuine Draft.

1996 – É inaugurada pela Brahma a maior e mais moderna Fábrica da América Latina no Rio de Janeiro, com capacidade de 12 milhões de hectolitros. São iniciadas as construções de mais duas unidades: uma em Viamão (RS) e outra em Aracaju (SE). A Fratelli Vita adquire a marca Marathon e passa a produzir e distribuir um novo isotônico no mercado.
A partir de uma proposta de parceria entre a Antarctica e a Anheuser-Busch é constituída a Budweiser Brasil Ltda. A Skol fecha um contrato de licenciamento de marca com a Cervejaria dinamarquesa Carlsberg.

1997 – É constituída a Subsidiária Integral Antarctica U.S.A Inc., sediada em Miami, para possibilitar a distribuição do Guaraná Antarctica nos Estados Unidos. A Brahma adquire a concessão para fabricar, comercializar e distribuir a marca Lipton Ice Tea no mercado de bebidas não alcoólicas. A filial Brahma em Sergipe é inaugurada.

1998 – A Brahma Chopp passou a ser exportada para a Europa, iniciando seu ingresso no mercado estrangeiro pela França. A Brahma inaugura a unidade fabril de Viamão (RS).

1999 – A Companhia Antarctica Paulista e a Companhia Cervejaria Brahma comunicam a criação da Companhia de Bebidas das Américas (AMBEV), resultante da fusão de ambas.

2000 – Após 9 meses de uma longa trajetória, em março de 2000 é noticiado o que todos aguardavam: “AMBEV nasce como a 5ª maior empresa de bebidas do Mundo”.

2004- Comemora-se 16 anos de trabalho pesquisa e desenvolvimento a cerveja artesanal pelo especialista em cerveja; Norberto Herrero.