Profissões Cervejeiras – Designer de Rótulos de Cerveja

Hoje em dia o consumidor se depara com gôndolas e mais gôndolas de cervejas diferentes. Qual escolher? Nos grandes mercados, dificilmente encontramos algum profissional designado a orientar qual é a cerveja mais indicada para o gosto específico de cada cliente. Não considerando o preço, o consumidor irá escolher uma cerveja que já conhece, ou que já ouviu falar, ou fatalmente será pela beleza do rótulo. É aqui que o designer de rótulos de cerveja entra.

Já deu para perceber o quão importante é este profissional e a cada dia tem ganhado mais relevância. Prova disso foi o 2˚Concurso Randy Mosher de Design de Rótulos, ocorrido em março de 2015 em Blumenau. Esta premiação é um reconhecimento à criatividade e importância que todo o rótulo possui, pois afinal toda cerveja é inicialmente degustada pelos olhos.

Desta vez entrevistamos 3 grandes profissionais da área, que trazem dicas e informações para aqueles que pensam em fazer rótulos de cerveja. São eles (por ordem alfabética):

[tab name=”Bruno Couto”]

Designer de Rótulos de Cerveja – Bruno Couto

designer-rotulos-bruno-couto

publicitário, diretor de arte, sócio e responsável pela comunicação artística da Cervejaria 2 Cabeças, co-autor de diversos trabalhos da Cervejaria Invicta, Brewer Chef, entre outros e sommelier de cervejas.[/tab]

[tab name=”Márcio Cócaro”]

Designer de Rótulos de Cerveja – Márcio Cócaro

designer-rotulos-Marcio Cocaro

,Sócio-diretor da agência Casa Darwin, responsável por diversos trabalhos de comunicação da Cervejaria Colorado e da Weird Barrel Brewing. [/tab]

[tab name=”Yumi Shimada”]

Designer de Rótulos de Cerveja – Yumi Shimada

designer-rotulos-yumi-shimada

Yumi Shimada, designer, diretora de arte, sócia e responsável pela comunicação artística da Japas Cervejaria, co-autora de diversos trabalhos para Cervejaria Invicta, Cervejaria 2 Cabeças, Brewer Chef e sommelier de cervejas.

 

[/tab]

[end_tabset]

 

Designer de Rótulos de Cerveja – Entrevistas

1) O que um designer de cerveja precisa saber para fazer um bom rótulo de cerveja?

Bruno: Alguns itens são básicos, como bom gosto, referências e conhecimento do mercado. Mas o principal talvez seja saber abrir mão de um estilo próprio e trazer a cada rótulo a personalidade por trás da cerveja e da cervejaria. Entender que o rótulo é parte de um projeto de posicionamento de marca e que tudo tem que estar alinhado e fazer sentido como conjunto.

 

Márcio:Um rótulo não é apenas um rótulo. Ele é a derivação final de uma série de valores da marca. No Brasil, o que ainda se vê no mercado de cervejas artesanais é uma série de trabalhos casuísticos, ou seja, que vão sendo feitos de acordo com cada ideia pontual, sem passar para os consumidores a essência da marca que ali está representada. O posicionamento de uma marca ajuda a alinhar tudo: discurso, receitas, rótulos, merchandising, stands, e por aí vai. Esse é o princípio básico que pouquíssima gente consegue fazer. E que divide os profissionais dos amadores.

Yumi: Puxa muitas coisas, como o tamanho de fonte certo que dê leitura para as informações desde as mais pequeninas, que são as questões legais, até o tamanho certo de título que chame atenção nas prateleiras. Pesquisar muita referência, estudar os concorrentes, tentar se diferenciar. Fora a harmonia de cores para se destacar das demais, bom gosto e principalmente noção.

 

 

2) Cite 3 itens fundamentais que um bom rótulo de cerveja precisa ter do ponto de vista artístico?

Bruno:

  • Tem que resumir a essência da cerveja e da cervejaria

  • Tem que gerar identificação com o público

  • Tem que se destacar nas prateleiras

Márcio:Primeiro, um bom rótulo precisa ter adequação ao seu espaço físico. É básico, mas não é usual. Vejo muitos trabalhos que não conseguem contar uma história em um rótulo, mas que em um cartaz talvez conseguissem. Uso o exemplo do trabalho do artista inglês Ralph Steadman, no qual sou fã incondicional enquanto arte ou ilustração, mas não curto seus rótulos para a americana Flying Dog pois pra mim não funcionam ali. Em segundo lugar, um bom rótulo precisa conter dados técnicos esclarecedores para que as pessoas possam saber que líquido estão bebendo. E, obviamente, precisa ser original. Acho que um quarto ponto importante é pensar na linha da cervejaria como se estivesse na prateleira, ou seja, construir uma unidade visual para uma linha de produtos e não desenhar um rótulo apenas. Isso fortalece a marca pois um rótulo se soma ao outro ao invés de dividir as atenções, mesmo quando acessados separadamente.

 

Yumi:

  • Precisa ser bonito, dar gosto de ver. Pra mim isso é o essencial, tem que dar vontade de tomar aquela cerveja pelo rótulo.
  • Precisa chamar a atenção, porque se ele só for bonito e não se destacar entre os demais que estão ao seu lado, ele vai passar desapercebido.

  • Precisa ter as informações corretas, apesar da visão artística. Precisamos lembrar que aquilo não é um quadro e é um produto sério que vai ser consumido.

 

 

3) Cite 3 nomes de referências profissionais em design de rótulos. Pode ser brasileiro ou estrangeiro.

Bruno:

  • Randy Mosher: Acredito que foi a principal e primeira grande influência no nosso mercado, com suas criações para a Colorado que fizeram muita gente abrir os olhos para a importância do design e da comunicação no nosso mercado cervejeiro.
  • Ralph Steadman: Um dos grandes cartunistas de todos os tempos, que desenhou pra artistas do calibre de Hunter S. Thompson e emprestou sua arte para uma das melhores cervejarias do mundo, a Flying Dog.

  • Lucas Winck: Pra não ficar só nos gringos, vou citar um trabalho nacional que é um dos que mais me chamou a atenção nos últimos tempos. Os rótulos da cervejaria Maniba são incríveis, tem uma linguagem meio freak/underground de muito bom gosto e que se destaca do que todo mundo tem feito por aqui. Nunca conheci o designer então fica aqui os meus parabéns.

Márcio:

Eu raramente penso no designer em si. Acabo pensando no trabalho e aí tento ver quem fez. Adoro o trabalho de design da cervejaria inglesa Brew By Numbers, criado por Duke Harper (mas não o conheço muito bem). Gosto também do trabalho do studio Milton Glaser, de NYC, que são os caras que fizeram a Brooklyn Brewery. A dupla que fez o restyling da alemã Astra Beer, Andrea Pagano e Liz Clements, também são ótimas. E, claro, Randy Moscher por ser a nossa senhora dos rótulos desse mercado, a quem tive o prazer de conhecer e fazer alguns trabalhos para a Colorado aqui na agência.

Yumi:

  • Randy Mosher, é um cara histórico, referência, não tem como não citar.
  • Numa época em que não existiam muitas cervejarias com rótulos criativos, veio a diabólica que impactou com as ilustrações infernais de um artista que eu admiro bastante chamado Rafael Silveira.

-Não sei os nomes dos designers que realizam os rótulos da Cervejaria Morada, mas gosto bastante da maioria.

 

 

4) Na sua opinião, quais foram os seus 3 melhores rótulos (ou trabalho de design) que você já realizou no mundo cervejeiro?

Bruno:

  • 2cabeças: Sou muito orgulhoso do projeto completo que fiz com a 2cabeças. Logo, rótulos, conceito, posicionamento de marca. Foi um dos poucos projetos que criei e executei sozinho e fico muito feliz com o resultado e com a forma como ajudou a cervejaria a se posicionar tão bem no mercado.
  • 1000IBU: Recentemente participei da recriação de toda a marca da Invicta, 10 rótulos, logomarca, ideias de nomes para as cervejas, reposicionamento completo. E também tenho muito orgulho do projeto como um todo. Porém esse projeto só aconteceu porque teve um marco zero, e esse marco foi o rótulo da 1000IBU que criei a dois anos com a Yumi Shimada. O soco que criamos colaborou para dar à cerveja e à cervejaria o destaque que mereciam no mercado.

  • Brewer Chef: Aqui, mais do que o design, o rótulo e a marca, o destaque está na ideia de criar uma linha que conecte tão bem duas paixões nacionais, que são a cerveja e a gastronomia. O trabalho de criação de produtos é algo que me abriu ainda mais os horizontes da criatividade cervejeira e tem me dado enorme prazer.

Márcio:

Nós fizemos alguns da Cerveja Colorado, tudo o que você vê da Weird Barrel Brewing Co. (incluindo rótulos e logomarca) e também fizemos os logos da ABRACERVA – que não são rótulos, mas o trabalho foi bem especial – especialmente o primeiro que era para a ABM (Associação Brasileira de Microcervejarias), antes de mudarem para ABRACERVA por motivos legais.

Yumi:

  • Os molhos com ingredientes de cerveja, que realizei junto com a direção de arte do Bruno Couto, o Brewer Chef. Foi um trabalho de muita dedicação, desenhei desde a tipografia, até o logo e os personagens com a técnica da colagem, por isso adorei o resultado.
  • A ilustração do soco da 1000 IBU, também realizado em parceria com a direção de arte do Bruno Couto.

  • Lógico que não posso deixar de citar, a marca da cervejaria Japas, que ainda está começando, mas como será um trabalho que terei total liberdade e controle, podem já se preparar para o que vem por aí. 😉

 

 

5) Qual a dica você pode dar para quem gostaria de seguir o ofício/arte?

Bruno:

Vai pra cima, o nosso mercado cervejeiro artesanal ainda é carente de bons profissionais de comunicação. Traga referências de outros mercados e tente olhar para o design como apenas uma das ferramentas na construção da marca. Se encarar o rótulo como algo separado corre o risco de errar o alvo.

Márcio:

Pense que você está parado na frente da prateleira do EAP com cerca de 800 opções e vai comprar uma cerveja. Um conjunto de sensações vão decidir sua compra, mas com certeza um bom rótulo ajuda muito. De verdade, você escolheria o que você está desenhando?

Yumi:

Minha dica é não pare nunca de realizar o que você gosta. Se você ainda trabalha com outra profissão em paralelo, arranje tempo e continue seus projetos pessoais, eles são a alavanca para o seu crescimento profissional e artístico.

Saúde e Criatividade a todos os artistas que deixam as nossas cervejas melhores e mais curiosas!!!

 

[tab name=”Sobre o autor”]

Denny Ueda

<

p style=”text-align: justify;”>Denny Ueda é Beer Sommelier e mestre em estilos formado pela ABS Instituto da Cervejaalém de ter uma vasta experiência profissional no ramo cervejeiro. Já foi proprietário da loja virtual Estação Cerveja, trabalhou na Cervejaria EikBier como consultor de negócios, na Wtrends como coordenador de projetos e atualmente possui uma empresa de consultoria, treinamentos e prestação de serviços vinculados a cerveja, a Plan Beer. [/tab] [end_tabset]

<

p style=”text-align: center;”> 

JOIN THE DISCUSSION