A história e o desenvolvimento das cervejas especiais no mercado americano

Este trabalho foi realizado pelos os seguintes alunos do curso Mestre em Estilos do Instituto da Cerveja do Brasil:

Elizabeth Marino, Daniela Garrido, Jayro Pinto Neto, Marcelo Alves, Natali Conti, Rebeca Barreto, Roberto Hauy

  1. Introdução

A cerveja, nascida na Mesopotâmia e desenvolvida na Europa, demorou séculos para chegar ao novo mundo. Chegou pelas mãos dos imigrantes europeus que, eram até então hegemônicos no que se tratava de escolas cervejeiras (Alemã, Inglesa e Belga).

A cultura cervejeira americana começou variada, com as produções de alcance regional e seguindo o estilo de cada imigrante. Posteriormente, com a evolução da industrialização americana pós-guerra, cresceu em volume, mas concentrada em algumas poucas dezenas de marcas com distribuição nacional, com o mesmo conteúdo lager massificado e insípido praticamente impossível de se diferenciar sem ser pelo rótulo.

Somente após o furacão flower power, em meados dos anos 70, que alguns cervejeiros da costa oeste, fascinados pela riqueza aromática das (quase esquecidas) bebidas europeias, iniciaram um movimento de resgate dos estilos tradicionais, primando pela qualidade em detrimento do volume e distribuição e culminando na criação de uma nova e rica escola cervejeira.

  1. Cervejas Especiais ou Artesanais

Não existe consenso na definição do que vem a ser uma cerveja especial, mas, de um modo geral, as explicações remetem ao seu apelo gastronômico, seja pela qualidade dos ingredientes, seja pelo cuidado no processo de fabricação.  

Em suma, são bebidas que primam pelo teor gastronômico em contraposição aos produtos massificados e de apelo popular (mainstream).

Porém existe um critério legal instituído recentemente, as cervejarias que produzem menos de 2 milhões de barris por ano vão receber descontos fiscais e são consideradas de fato micro e artesanais, além desse critério, também serão consideradas artesanais as cervejarias que possuem menos de 25% de participação comprada por outra macro indústria de bebida alcoólica que não seja outra micro cervejaria.

Embora essa legislação não siga os mesmos critérios do B.A. (Brewers Association) é muito bem-vinda, já que os pequenos estão sendo favorecidos com esses descontos fiscais, possibilitando uma competitividade dentro do segmento hoje assediado pelas macros na compra das pequenas.

  1. A história da cerveja nos Estados Unidos

Existem relatos que os nativos americanos já fabricavam sua própria cerveja, ou bebida obtida através de um processo rudimentar de fermentação de cereais, muito antes da descobertada América pelos europeus. Entretanto, a cerveja, propriamente dita, chegou aos Estados Unidos com a colonização inglesa, no início do século XVII, quando foi fundada a primeira cervejaria, em 1612, na cidade de Nova Amsterdam (atual Manhattan) e, ao longo dos séculos seguintes, seguiu o estilo das escolas nativas dos seus imigrantes, como irlandeses, escoceses e alemães.

Os imigrantes holandeses logo perceberam que o solo e o clima da região de Nova Amsterdam eram particularmente propícios para o cultivo de cevada e lúpulo, dois dos ingredientes essenciais para a fabricação da cerveja. Em 1660 já haviam 26 tavernas e cervejarias na região, numa clara indicação de que a bebida iria se popularizar. Apesar disso, o consumo na época mantinha-se restrito aos negócios locais, pois o engarrafamento da bebida era muito caro. Era bastante comum que as famílias produzissem sua própria cerveja, entre os quais se incluíam os patriarcas da naçãoGeorge Washington e Thomas Jefferson.

O crescimento da população e a popularização da bebida fez com que a quantidade de cervejarias saltasse de 132 no ano de 1810 para 4131 em 1873, na maioria, pertencentes a imigrantes europeus. A produção dessas cervejarias era limitada ao consumo regional e não tinham capacidade de distribuição para o resto dos Estados Unidos.

Isso não significava que fazer cerveja não pudesse ser um negócio rentável. Em 1797, James Vassar fundou uma cervejaria em Poughkeepsie, Nova York, cujo sucesso ultrapassou as fronteiras do mercado cervejeiro. Sua empresa, posteriormente controlada por seus filhos Matthew e John, chegou a produzir aproximadamente 15.000 barris de cervejas Ale e Porter por ano e em 1860, com mais de 50 funcionários, tornou-se a maior cervejaria da América, produzindo 30.000 barris por ano.

Muitos fatores contribuíram para que a cerveja se tornasse dominante entre as bebidas alcoólicas:

  • A predominância de imigrantes provenientes de países com forte cultura cervejeira como ingleses, irlandeses e alemães.
  • O fato da industrialização da América ter se intensificado nesse período fez com que muitos trabalhadores das indústrias e minas adquirissem o hábito de beber durante e após o trabalho.
  • Muitos trabalhadores começaram a receber salários maiores nesse período, permitindo que gastassem mais com bebida.
  • A cerveja era incentivada por movimentos contrários ao consumo de produtos com teor alcoólico mais elevado, como rum ou whiskey.
  • O desenvolvimento científico e tecnológico, como a refrigeração e a pasteurização, permitiu a produção de novos estilos de cerveja, como as lagers alemãs.

Desta forma, entre a Guerra Civil e a Lei Seca, a produção e o consumo de cerveja ultrapassou a dos destilados.

Lei Seca

O período compreendido entre o final do sec. XVIII até início do sec. XX foi marcado por mudanças sociais importantes para o Estado Unidos, como o crescimento do sentimento patriota,  formação do conceito familiar americano e consequentemente movimentos de rejeição e repreensão ao consumo do álcool, e a raiz da questão estava diretamente relacionada ao aumento de imigrantes oriundos, que levaram grandes problemas sociais, pois eles constituíram uma grande população que bebia exageradamente para os parâmetros da época gerando um grande choque cultural e consequentemente  uma crescente tendência de conflito social e até xenofobia.

Nesta mesma época os taberneiros percebendo essa mudança comportamental, começou a comercializar quase que exclusivamente álcool, logo as tabernas depois os Sallons passaram a funcionar como centros de entretenimento adulto com prostituição, baderna e sempre regado de bebidas. Em decorrência do crescimento da desordem surgiram os primeiros movimentos antialcoólicos, com argumentos que o consumo do álcool trazia problemas não só patológicos para o indivíduo que bebia, mas também problemas sociológicos, essas questões foram alimentando fundamentos morais e o fanatismo religioso.

Como resultado, a educação religiosa (obrigatório em escolas), passou a ser antialcoólica e em 1874 foi fundada a União Temperança (Woman’s Christian Temperance Union), organização que combatia a influência do álcool na família e na sociedade. Movimento que chegou a contar com 1 milhão de membros.

Em 1893 a liga Antisallon conseguiu a proibição da produção e comercialização de bebidas alcoólicas em nível nacional.

Tudo que é proibido é mais gostoso

        

Entre 1917 e 1933, leis tentaram impor a abstinência ao povo americano proibindo a produção, o transporte, o comércio e o consumo de bebidas alcoólicas. Drasticamente, todas as cervejarias existentes foram fechadas, mas o interessante é que no início da proibição a produção curiosamente aumentou para suprir a crescente demanda, para isso muitas cervejarias começaram a trabalhar na clandestinidade gerando um forte mercado negro, que deu impulso à máfia ao contrabando e ondas de crimes

Neste período de crise, a necessidade de socializar é ainda maior, e foi quando os Americanos inovaram com discrição, criando os Speakeasy, estabelecimentos clandestinos de venda de bebidas dessa época. O termo já demonstra o caráter subversivo do negócio. Speakeasy se refere a “fala-mansa”. Para entrar em certos bares era preciso bater à porta conforme um código ou conhecer senhas que mudavam toda semana. Os funcionários eram treinados para esconder toda a bebida e quase toda espelunca possuía uma saída de emergência para fuga no caso de uma batida policial.

A clientela incluía homens e mulheres que buscavam diversão em um ambiente atraente justamente por ser ilícito e proibido.

Os primeiros speakeasy eram totalmente clandestinos, funcionando em porões ou nos fundos de residências em condições precárias.

Com o tempo eles foram se adaptando e se tornando cada vez mais sofisticados. Alguns desses bares funcionavam em casas de comércio acima de qualquer suspeita, mas o rentável negócio logo atraiu a atenção de gângsteres que impunham pela força sua participação nos lucros. Al Capone, filho de um italiano e um dos principais criminosos de contrabando, passou a comandar as destilarias e cervejarias durante a Lei Seca e chegou a faturar cem milhões de dólares ao ano.

Em 1929, em plena vigência da Lei Seca, o governo estimava que a produção ilícita de cerveja era de 26 milhões de hectolitros, com isso em dezembro de 1933, após 13 anos de proibição e a constatação de sua completa ineficácia, a Lei Seca foi abolida pelo presidente Roosevelt.

lei seca

Marcha contra a lei seca em Chicago, EUA (“Nós queremos cerveja”).

Nesse período, apenas algumas grandes cervejarias conseguiram se manter, pois conseguiram mudar sua produção para refrescos e outras bebidas não alcoólicas. Assim surgiram algumas das grandes potências da indústria de bebidas como Budweiser, Miller e Coors.

Além disso, a Primeira Grande Guerra Mundial, que devastou a Europa e aGrande Depressão, prejudicaram o fornecimento de matérias primas, como o lúpulo e malte, para a América.

As empresas Schlitz, Blatz. Pabst e Anheuser-Bush, líderes no setor cervejeiro antes da Lei Seca, começaram a produzir uma bebida a base de malte, parecida com cerveja, com teor alcoólico entre 1 e 1,5%. Apesar de não ser um sucesso comercial, essa produção permitiu que elas continuassem com seus negócios e mantivessem os métodos de produção de cerveja. A Anheuser-Busch batizou sua nova bebida (near beer – uma quasecerveja) deBudweiser.

As cervejarias passaram a vender seu xarope de malte como ingrediente para a fabricação de biscoitos, que alguns também utilizavam para fazer suas cervejas caseiras.

Ainda imbuídos da necessidade de manter a sobrevivência de seus negócios, as empresas Blatz. Pabst e Anheuser-Bush utilizaram seu investimento em automóveis e caminhões, além de maquinário para engarrafar cervejas para expandir a indústria de refrigerantes, cuja logística desenvolvida tornou se a principal arma no ressurgimento da indústria pós-guerra.

Na retomada da produção de cerveja, as grandes cervejarias começaram a produzir bebidas lager, numa variação de cervejas pilsener, com cor, corpo, sabor e quantidade de lúpulo bem inferiores ao estilo original. Todos os fabricantes tinham um produto muito semelhante entre si e utilizavam milho e arroz a fim de torná-las mais leves e claras, além de reduzir o custo final. Isso tornou as suas bebidas acessíveis as classes mais baixas. Essas corporações cresceram muito em estrutura, desenvolvendo uma forte logística, capaz de distribuir seus produtos por todo o pais e criando estratégias massivas de marketing. Foi dessa forma que nasceu o estilo American Lager que conquistou e ainda mantém a hegemonia do mercado mundial

Importação de cerveja e Leo Van Munching

Após a revogação da Lei Seca em 1933, Heineken começou a ser importada para os Estados Unidos. Leo Van Munching era um bartender e foi convidado pela Heineken a importar sua cerveja para o País.

Com a II Guerra Mundial, aconteceu uma parada na importação e Munching serviu na Marinha dos EUA. Quando ele voltou, em 1945, formou a Van Munching and Company, Inc. e estabeleceu um sistema de distribuição em todo o país para expandir mercado da cerveja além da área de Nova York.

Através do sistema de distribuição de Van Munching, Heineken tornou-se a importação de cerveja dominante na maioria dos Estados Unidos, tornando-a a cerveja importada mais vendida dos Estados Unidos.

  1. O desenvolvimento das cervejas especiais

Os anos 60 e 70 foram marcados por drásticas mudanças nos usos e costumes da sociedade mundial e, principalmente nos Estados Unidos. Os fracassos nas incursões bélicas no sudeste asiático abalou o provincianismo e nacionalismo americano e o movimento de contra-cultura tomou conta da moda, artes plásticas, música, literatura e gastronomia.

Nessa época os americanos abriram-se para o mundo culturalmente. Os britânicos se apoderaram das raízes musicais como o Rock (The Beatles) e o Blues (The Rolling Stones e Cream). As religiões orientais como o hinduísmo e budismo ganharam espaço entre os famosos. Na moda, os homens assumiram características até então exclusivamente femininas como os cabelos longos e as roupas coloridas e floridas.

Em 1965, Fritz Maytag, após formar-se em letras na Universidade de Stanford e trabalhar um tempo no Japão, adquiriu 51% da Anchor Brewing Company, que estava falindo. Maytag costumava visitar um antigo restaurante de San Francisco chamado Old Spaghetti Factory, para tomar sua cerveja favorita, Anchor Steam, onde conheceu o proprietário Fred Kuh. Certo dia, Fred disse a Maytag: “Fritz, aproveite essa Anchor, pois provavlmente será a última que irá beber”. Continuanado a conversa, Fred sugeriu a Fritz que visitasse a fábrica antes que fechasse. Assim que visitou, Maytag apaixonou-se pela ideia e fechou negócio.

Em 1971 a Anchor começou a engarrafar, Maytag foi ampliando seus investimentos na cervejaria e firmou-se como marco da revolução cervejeira.

Na segunda metade dos anos 1970, enquanto Fritz Maytag foi firmando-se no cenário cervejeira, na Califórnia, ocorreu uma reviravolta no cenário gastronômico norte americano conhecido como California Cuisineque atingiu chefs, vinicultores e cervejeiros. Cervejeiros que experimentavam as bebidas europeias ficavam fascinados com a explosão de aromas dos produtos do velho continente e tomaram consciência que era possível produzir cervejas muito melhores do que as tradicionais que eram comercializadas no seu país, as chamadas standard American lager.

Sendo assim, alguns cervejeiros começaram a trabalhar nesse novo conceito. Em 1976, Jack McAuliffe, criou em Sonoma, Califórnia, a New Albion. Sua cervejaria, embora tenha durado apenas 6 anos, serviu de inspiração para outras, como a Mendocino Brewing Company, sucessora da New Albion.

McAuliffe aprendeu sobre fabricação caseira durante seu período na marinha. Quando voltou aos Estados Unidos, começou a fabricar sua própria cerveja enquanto estudava física e iniciava sua carreira na engenharia. Segundo McAuliffe, a bebida americana era uma “desgraça nacional” em comparação com as saborosas ales e porters britânicas.

Junto com as Parceiras Suzy Denison e Jane Zimmerman, eles improvisaram uma fábrica com tanques de laticínios e refrigerantes conseguidos em depósitos de sucata. O nome, New Albion, foi em homenagem ao explorador inglês Francis Drake, que batizou a costa oeste da América do Norte com o antigo nome da Grã-Bretanha (Albion).

Brew pubs começaram a surgir por todo o pais, fazendo antigos estilos de Ale e o movimento das microcervejarias passou a ganhar as regiões produtoras de lúpulo na costa noroeste do Pacífico e, posteriormente, para a Costa Leste.

Jeff Lebesch, cervejeiro caseiro, esteve a trabalho, como engenheiro, na Bélgica no ano de 1985 e aproveitou para visitar de bicicleta as cervejarias artesanais pelo país. Lá ele ficou encantado com aquelas cervejas maravilhosas e, na volta, fundou a New Belgium, primeira cervejaria americana a basear suas bebidas nos estilos belgas.

Na Costa Leste, Jim Koch, profissional de propaganda e marketing e com ancestrais cervejeiros, fundou a Boston Beer Company, lançando a icônica Samuel Adams Boston Lager e no Brooklin, o jornalista Steve Hindy e o banqueiro Tom  Potter fundaram a Brooklyn Brewery.

O movimento iniciado nos anos 70 é tido como a redescoberta da cerveja  e tomou conta do pais inteiro, com grandes variações de cores, sabores e aromas. Hoje podem ser encontradas mais de mil micros cervejarias nos Estados Unidos, nos mesmos padrões das pioneiras e para ganhar mercado, os pequenos produtores tomaram o caminho da criatividade como saída e uma forma de fazer frente aos seus grandes concorrentes, eles reinventaram os estilos e misturaram tudo o que as escolas tradicionais haviam oferecido de melhor.

Fazer cerveja caseira foi a porta de entrada para a maioria desses cervejeiros. Muitos deles aprenderam com o livro “The complete joy of homebrewing”, de Charlie Papazian, engenheiro nuclear que entrou para o negócio cervejeiro e ministrou diversos curso ao longo da década de 70. Outro livro que inspirou os jovens cervejeiros na época foi o “World guide to beer”, de 1977 e escrito pelo britânico epecialista no assunto, Michael Jackson.

Esse movimento serviu de inspiração para cervejeiros do mundo todo. Segundo Phil Markowski, mestre cervejeiro da Southampton Public House, eu não tenho dúvidas que a América é o melhor lugar para ser cervejeiro, pois nós não temos a responsabilidade de manter uma longa tradição cervejeira e, por isso, nós temos a liberdade de ser criativos e poder reunir influências de todo o mundo.

  1. Cenário atual das cervejarias especiais americanas

O crescimento, tanto cultural da Nova Escola Americana, quanto econômico é surpreendente. Ao longo dessas últimas décadas, os americanos, baseados nas escolas tradicionais Alemã, Belga e Inglesa foram assertivos em disseminar a cultura cervejeira. Além de usar a criatividade para lançar novos estilos, são muito mais livres e flexíveis e não possuem limites para extravasar essa criatividade em suas cervejas.  

O números do crescimento neste setor são pra lá de otimistas, bateram uma marca histórica recentemente, atingindo 11% do volume dentre a categoria de cervejas artesanais nos EUA.  

No último ano o volume em vendas representou 19,6 bilhões de dólares, incentivando o crescimento também da quantidade de novas cervejarias o que favores a geração de cerca de 5 mil vagas de empregos a mais que as existentes em 2013. 

image11

Outro indicador de crescimento são os números de exportação das cervejas artesanais americanas, como podemos observar no gráfico abaixo o Brasil égrande consumidor dessas exportações.

Cervejarias pequenas e independentes estão espalhando a cultura da cerveja artesanal em todo o mundo, disse Bob Pease, diretor executivo da BA.

Ranking das 50 cervejarias americanas com maior volume em 2014:

                                                   

  1. Associações Cervejeiras nos Estados Unidos

Grande parte da história de sucesso da cerveja artesanal nos Estados Unidos se deve às associações cervejeiras que surgiram no país para ajudar, profissionalizar e tornar possível a expansão das cervejarias produtoras de cervejas artensanais nos Estados Unidos.

The Small Brewers Committee – O Comitê dos micro-cervejeiros, foi o precursor do Brewers Association, criado em 1942 com o objetivo de discutir sobre o fornecimento de matérias primas e outras questões comuns para os micro-cervejeiros. Uma das coisas pela qual o comitê lutou foi para conseguir a matéria prima, estanho, para fazer as tampas para selar as garrafas das micro-cervejarias, isso permitou que as cervejas artesanais fossem comercializadas em garrafas, dando mais visibilidade ao setor.

The Brewers Association of America 

A Associação de Cervejeiros da América, em 1976 contribuiu para a expansão das micro-cervejarias americanas estabelecendo uma taxa diferenciada, no caso menor, para quem produzia até 2 milhões de barris de cervejas, antes a taxa era para a produção de até 60.000 barris.

American Homebrewers Association (AHA) 

Em 1978 Charlie Papazian e Charlie Matzen formaram a Associação de Cervejeiros Caseiros dos Estados Unidos, com a publicação da primeira edição da revista Zymurgy anunciando a nova organização e divulgou a legalização federal do homebrewing, na mesma adição da revista a AHA divulgou a 1ª competição Homebrew Nacional.

Atualmente a AHA é organizadora da maior competição homebrew do mundo e também promove vários eventos homebrew nos Estados Unidos e Canadá. Gary Glass é o atual diretor. A AHA publica a revista Zymurgy seis vezes por ano para seus 37.000 membros.

The Great American Beer Festival®

Criado em 1982, a o GABF é o principal festival de cerveja dos EUA e uma das principais competições do mundo cervejeiro, a festa reúne os grande fabricantes de cerveja artesanal e seus diversos rótulos.

 

The Association of Brewers 

Em 1983 a Associação dos Cervejerios é criada para  para incluir o American Homebrewers Association (AHA) e o Institute for Brewing and Fermentation Studies para apoiar o movimento microcervejaria emergente nos EUA.

Brewers Association (BA) – criada em 2005 através da fusão da associação dos Brewers Association of America e os Brewers’, com a intenção de “promover e proteger os pequenos e independentes cervejeiros americanos, suas cervejas artesanais e a comunidade de entusiastas de cerveja”.

Dois dos maiores programas apoiados pela BA são o Associação Americana de Homebrewers (AHA) e The Great American Beer Festival (GABF).

O número e associados ao BA não para de crescer, até 2013 mais de 6 mil pessoas participaram da conferência dos cervejeiros artesanais e existem quase 38 mil associados.

A Associação já criou e vem criando leis mais favoráveis aos microcervejeiros em cada estado, além de ser um grupo de comércio americano de mais de 1.900 fabricantes de cerveja, particularmente preocupada com a promoção de cerveja artesanal e homebrewing nos Estados Unidos.

  1. Escola Americana

A mais recente todas as quatro escolas cervejeiras, é a Escola Americana.

Alguns estilos, retratam o original europeu, com a adição do aroma e sabor dos lúpulos americanos florais, cítricos e resinosos.

  • American Pale Ale
  • American India Pale Ale
  • American Imerial IPA
  • Pale American-Belgo Ale
  • Dark American-Belgo Ale
  • American Strong Pale Ale
  • Imperial (ou Double) Pale Ale
  • American Amber (ou Red) Ale
  • Imerial (ou Double) Red Ale
  • American Barley Wine Ale
  • American Brown Ale
  • Smoked Porter
  • American Brett Ale
  • American Stout
  • American Imperial Stout
  • American Imperial Porter

Outros, já são específicos, tais como:

  • Fresh Hop Ale – produzida exclusivamente com lúpulos frescos e úmidos
  • American Wheat Wine Ale
  • American Sour Ale – sem características de Brettanomyces, essas cervejas são envelhecidas em barris de madeira e a acidez é proveniente de ácidos láticos.
  • American Black Ale

Os Americanos não têm medo de inovar, por isso mudaram fórmulas, acrescentaram ingredientes e construíram uma criativa escola de estilos que apesar de nova, é referência no mundo todo e não para de trazer novidades ao mundo das cervejas artesanais.

  1. As principais cervejarias americanas

  1. Sierra Nevada Brewing Company

sierra nevada

Em 1981, os fabricantes caseiros Ken Grossman e Paul Camusi começaram a fazer cerveja em Chico, Califórnia e seu compromisso com a qualidade os tornaram um dos líderes em cervejas artesanais nos EUA. Apesar da grande variedade de produtos, sua principal cerveja é a Sierra Nevada Pale Ale.

  1. Full Sail Brewing Company

image15

Adquirida por seus funcionários em19XX, a cervejaria em Hood River, Oregon, passou a produzir cervejas de qualidade a preços populares. Suas principais cervejas são a Full Sail Pale Ale, Full Sail IPA e Full Sail Amber.

  1. Anderson Valley Brewing

anderson valley 2

Essa cervejaria é de Boonville, Califórnia e batiza seus produtos com nomes na espécie de dialeto local (Boontling). Os principais produtos são a Poleeko Gold Pale Ale, a Hop OttinIPA e a Boont Amber Ale.

  1. Redhook Ale Brewery

image17

Foi fundada em Seattle, Washington, em 1982 (no início como Independent Ale Brewery) e tornou-se uma das principais produtoras norte americanas de cervejas artesanais. Em meados da década de 90, uma parte da empresa foi vendida para a gigante Anheuser-Bush, quando foi possível adquirir uma nova fábrica em Merrimack, New Hampshire, alcançando o mercado nacional. A Redhook IPA (antiga Ballard Bitter) é o principal produto.

  1. Goose Island Beer Company

image21

John e Gregg Hall, pai e filho, fizeram a Goose Island Beer Company, em Chicago, se transformar de bar-cervejaria em uma cervejaria regional de sucesso. As suas principais cervejas são a Honkers Ale, a Goose Island India Pale Ale e a Gose Island Hex Nut Brown Sle.

  1. Victory Brewing Company

image19

Original de Downington, Pensilvânia, produz a Victory Hop Devil Ale, fruto da mítica do Diabo do Lúpulo.

  1. Russian River Brewing

image20

O fabricante de vinhos Korbel, de Sonoma, Califórnia, começou a fabricar cervejas especialmente lupuladas em 19XX, cujo principal produto é a Russian River India Pale Ale. Em 2002, o mestre cervejeiro Vinnie Cilurzo comprou a marca e a transferiu para a cidade de Santa Rosa, a 20km dali para ampliar sua produção.

  1. Bridgeport Brewing Company

image22

Seguindo o estilo britânico em suas cervejas, esta cervejaria de Portland, tem como principal produto a BridgePort India Pale Ale.

  1. The Brooklyn Brewery

image23

Em 1984, Steve Hindy (jornalista) e Tom Potter (banqueiro) abandonaram seus empregos para criar a The Brooklin Brewery. No início começaram a produzir na fábrica da Matt Brewing Company e somente em 1996 adquiriram uma fábrica da Williamsburg e passaram a ter seu próprio site. Desde 1994, Garett Oliver é seu mestre cervejeiro. Suas principais cervejas são a Brooklin Brown Ale, a famosa Brooklin Lager além da Brooklyn Black Chocolat Stout.

  1. Anchor Brewing Company

image24

 

Uma das pioneiras na década de 70, a cervejaria criou a Anchor Liberty Ale, com características tipicamente americanas (lúpulo Cascade) em 1975 para comemorar os 200 anos da cavalgada de Paul Revere para alertar os revolucionários americanos do iminente ataque britânico.

  1. Smuttynose Brewing Company

image25

Fundada no ano de 1993, em Portsmouth, New Hampshire, essa cervejaria utilizou as instalações da falida Frank Jones Breweing Company. Sua especialidade é a torrefação de maltes e a criação de rótulos interessantes (com o cão mascote Oliver). A principal cerveja é a Smuttynose Old Brown Dog Ale.

  1. Abita Brewing Company

image26

Jim Patton e Rush Cummings fundaram essa cervejaria em 1986 na cidade de Abita Springs, Louisiana. O local foi escolhido devido às suas fontes de água e conta com um brew pub em frente. A principal cervejaé a Abita Turbodog.

  1. Dogfish Head Brewing Company

image27

Na pequena cidade de Rehobeth, Delaware, Sam Calagione desenvolve suas cervejas criativas, dentre as quais uma stout com 20% de teor alcoólico, além de seu carro chefe, a Dogfish Head Indian Brown Ale.

  1. Widmer Brothers

image28

Os irmãos Kurt e Rob Widmer estão entre os pioneiros das cervejas artesanais com sua fábrica em Portland, Oregon. Começaram fazendo uma Altbier escura e lupulada e, atualmemte, após sua aliança com a Anheuser-Bush tem como seu carro chefe a Widmer Hefeweizen.

  1. Odells

image29

Doug Odell construiu sua fábrica em Fort Collins, Colorado em 1989, junto com sua esposa Wynne e sua irmã Corkie. O principal rótulo é o Odells Easy Street Wheat.

  1. North Coast Brewing

image00

Na cidade de Medocino, Califórnia, esta microcervejaria produz sob diversos rótulos, incluindo o Acme, homenagem aos desenhos animados da Warner Bros. Entre suas cervejas, sempre lupuladas, estáa Blue Star Wheat Beer.

  1. The Boston Beer Company

image01

A família Koch produziu seis gerações de cervejeiros, mas foi Jim Koch, da geração mais nova, que fundou a The Boston Beer Company em 1985. Jim usou sua bagagem de marketing adquirida em Harvard para lançar a icônica Samuel Adams. Alguns anos depois, adquiriu as instalações da Hudepohl-Schoeling, em Cincinnati para onde migrou a maior parte de sua produção.

  1. Magic Hat Brewing Company

image02

Alan Newman e Bob Johnson, fundaram a Magic Hat em Burlington, Vermont. Além da qualidade de suas bebidas, o design gráfico muito criativo de seus rótulos contribuíram para o reconhecimento dessa cervejaria, cujo principal rótulo é a Magic Hat Heart of darkness.

  1. Kalamazoo Brewing Company

image03

Seu fundador, Larry Bell é reconhecido pela sua excentricidade artística e pela grande variedade de suas cervejas stout. Fundadada em Kalamazoo, Michigan, no ano de 1983, seu principal rótulo é a Bell’s Kalamazoo Stout.

  1. Rogue Brewing Company

image04

O ex-executivo da Nike, Jack Joyce, construiu em 1987  ssua cervejaria em Newport, Oregon. Suas bebidas são voltadas para independência, qualidade e experimentação. Seus principais rótulos sãp a Rogue Mocha Porter e a Rogue Shakespeare Stout.

  1. Great Lakes Brewing Company

image05

Fundada pelos irmãos Patrick e Daniel Conway, no ano de 1988, em Cleveland, Ohio. Utilizaram a estrutura da antiga Schlather Brewing COmpany para criar uma fábrica moderna. Sua principal cerveja é a Great Lakes Edmund Fitzgerald Porter.

  1. Deschutes Brewery

image06

Fundada em Bend, Oregon, próxima ao reio Deschutes, no ano de 1988 por Gary Fish. Apesar de sua família atuar na indústria vinícola californiano, Gary viu no crescente mercado cervejeiro uma oportunidade. Seu principal produto é a Deschutes Black Butte Porter.

  1. Matt Brewing Company

image07

 

Frances Xavier Matt herdou a cervejaria de 1850 do seu avô alemão em Utica, Nova York e chegou a produzir a Brooklyn Lager para Hindy e Potter. Seu principal produto é a Saranac Black & Tan.

  1. New Glarus Brewing Company

image08

Fundada na cidade de Glarus, Wiscosin, Daniel e Deborah Carey fundaram sua cervejaria em 1993, sendo reconhecida como uma das mais requintadas dos Estados Unidos. Seus principais rótulos são a New Glarus Wiscosin Belgian Red e a New Glarus Raspberry Tart.

  1. Firestone Walker Brewing Company

image09

Em Paso Robles, Califórnia, essa cervejaria foi fundada em 2008, pela insatisfação com as pale ales existentes. Seus cervejeiros inspiraram-se nas históricas cervejas de Burton upon Trent, na Inglaterra e suas principais criações são a Double Barrel Ale e a Pale 31.

  1. Outras cervejarias nos Estados Unidos

  • 21st Amendment Brewery – San Francisco, California
  • Alaskan – Juneau, Alasca
  • Alesmith – San Diego, Califórnia
  • Allagash – Portland, Maine
  • Alpine – Alpine, Califórnia
  • Appalachian – Harrisburg, Pennsylvania
  • Arcadia – Battle Creek, Michigan
  • August Schell – New Ulm, Minesota
  • Avery – Boulder, Colorado
  • Ballast Point San Diego, Califórnia
  • Bayern Missoula, Montana
  • Bear Republic – Healdsburg, Califórnia
  • Berkshire Deerfeld,  Massashussets
  • Big Sky Missoula, Montana
  • BJs – vários locais
  • Blue Point Patchogue, Nova York
  • Boscos – vários locais
  • Boulder Boulder, Colorado
  • Boulevard – Kansas City, Missouri
  • Boundary Bay – Bellingham, Washington
  • Breckenridge – Denver, Colorado
  • Brewers Art – Baltimore, Colorado
  • Bristol Colorado Springs, Colorado
  • Butte Creek – Uklah, Califórnia
  • Caldera Ashland, Oregon
  • Cambridge Cambridge, Massashussets
  • Capital Middleton, Wiscosin
  • Captain Lawrence Elmsford, Nova York
  • Diamond Knot – Mukilteo, Washington
  • Dixie Littleton, Colorado
  • Drakes – San Leandro, Califórnia
  • Duck-Rabbit – Farmvile, Carolina do Norte
  • Eel River Fortuna, Califórnia
  • Elysian – Seatle, Washigton
  • Fish – Olympio, Washigton
  • Flossmoor Station – Flossmoor, Illinois
  • Flying Dog – Frederick, Maryland
  • Flying Fish Somerdale, New Jersey
  • Foothills Winston-Salem, North Carolina
  • Founders Grand Rapids, Michigan
  • Four Peaks Tempe, Arizona
  • Gearys Portland, Maine
  • Genesee Rochester, New York
  • Georgetown Seatle, Washington
  • Gordon Biersch San Jose, California
  • Grand Teton Victor, Idaho
  • Great Divide Denver, Colorado
  • Great Lakes Cleveland, Ohio
  • Green Flash San Diego, California
  • Gritty McDuffy Portland, Oregon
  • Hales Seatle, Washington
  • Harpon Boston, Massashussets
  • Heavy Seas Beer Halethorpe, Maryland
  • High Point Butler, New Jersey
  • Highland Asheville, North Carolina
  • Hofbräuhaus – Newport, Kentucky (primeira franquia licenciada pela HB de Munique)
  • HoppinFrog – Akron, Ohio
  • Hopworks/Hub Portland, Oregon
  • Ipswich Ale Brewery Ipswich, Massashussets
  • Iron Hill várias localidades
  • Ithaca Ithaca, New York
  • Jolly Pumpkin Dexter, Michigan
  • Kona Kallua Kona, Hawaii
  • Kuhnhenn Warren, Michigan
  • Lagunitas Petaluna, California
  • Lake Placid Lake Placid, New York
  • Lakefront Milwaukee, Wiscosin
  • Lancaster Lancaster, Pennsylvania
  • Left Hand Longmont, Colorado
  • Leinenkigels Chippewa Falls, Wiscosin
  • Lion Wilkes-Barre, Pennsylvania
  • Live Oak Austin, Texas
  • Lonerider Raleigh, North Carolina
  • Long Trail Bridgewater Corners, Vermont
  • Lost Abbey San Marcos, California
  • Lost Coast Eureka, California
  • Mac & Jacks Redmond, Washington
  • Mad River Blue Lake, California
  • Marble Albuquerque, New Mexico
  • Marin Larkspur, California
  • McMenamis várias localidades
  • Medocino Ukiah, California
  • Midle Ages Syracuse, New York
  • Midnight Sun Anchorage, Alaska
  • Millstream Amana, Iwoa
  • Minhas Monroe, Wiscosin
  • Moonlight Fulton, California
  • New Belgium Fort Collins, Colorado
  • New Holland Holland, Michigan
  • Ninkasi Eugene, Oregon
  • Old Dominion Dover, Delaware
  • Ommegang Cooperstown, New York
  • Orlando Orlando, Florida
  • Oskar Blues Longmont, Colorado
  • Otter Creek Middlebury, Vermont
  • Pelican Pacific City, Oregon
  • Penn Pittsburgh, Pennsylvania
  • Pike Seattle, Washington
  • Portland Brewing Portland, Oregon
  • Pyramid Seatle, Washington
  • Real Ale Bianco, Texas
  • Red Brick Brewing Atlanta, Georgia
  • River Horse Ewing, New Jersey
  • Rock Bottom várias localidades
  • Saint Arnold Houston, Texas
  • Schlafly Saint Louis, Missouri
  • Shipyard Portland, Maine
  • Shmaltz Clifton Park, New York
  • Ska Durango, Colorado
  • Sly Fox Pottstown, Pennsylvania
  • Snake River Jackson, Wyoming
  • Southampton Southampton, New York
  • Southern Tier Lakewood, New York
  • Speakeasy San Francisco, California
  • Spoetzl Shiner, Texas
  • Sprecher Giendale, Wiscosin
  • Starr Hill Crozet, Virginia
  • Steamworks Durango, Colorado
  • Stevens Point Steven Point, Wiscosin
  • Stone Escondido, California
  • Straub – St. Marys, Pennsylvania
  • Sudwerk – Davis, California
  • Summit – Saint Paul, Minnesota
  • Surly – Minneapolis, Minesota
  • Terminal Gravity – Enterprise, Oregon
  • Terrapin – Achens, Georgia
  • Three Floyds – Munster, Indiana
  • Trumer – Berkeley, California
  • Two Brothers Warrenville, Illinois
  • Uinta – Salt Lake City, Utah
  • Utah Brewers Salt Lake City, Utah
  • Wachusett Westminster, Massashussets
  • Weyerbacher Eaton, Pennsylvania
  • Wynkoop Denver, Colorado
  1. Conclusão

A história das cervejas especiais nos Estados Unidos é repleta de contradições. Nasceram com os imigrantes, quase foram extintas e ressurgiram, mais forte do que nunca. O puritanismo americano impôs a Lei-Seca, que foi responsável por uma onda de criminalidade e violência. As restrições impostas pelas duas guerras mundiais e a crise econômica do início do século XX construíram a base de uma indústria com capacidade produtiva e logística sem igual, além de criar o estilo American Lager, que conquistou o mundo.

Por último, a revolução gastronômica dos anos 70 foi resgatar as tradições cervejeiras europeias e acabou criando uma 4ª escola cervejeira que prima pela inovação e criatividade.

Podemos dizer que, atualmente, existem 2 grupos de cervejas especiais americanas:

  • Os estilos tradicionais europeus são réplicas dos estilos das escolas alemã, inglesa e belga
  • Cervejas extremas ales americanas inventivas e aromáticas, normalmente muito lupuladas.

Para a indústria de cerveja artesanal americana a previsão é otimista, o mercado de consumo dessas cervejas é cada vez maior, o que permite que as cervejarias sejam cada vez mais inventivas e que mais estilos surjam para os consumidores que estão cada vez mais ávidos por novidades.

Se por parte da história os Americanos começaram tão tarde sua Escola Cervejeira, por parte da inovação eles estão tão a frente quanto as antigas escolas cervejeiras não deixando o atraso dos anos ofuscar seu brilhantismo.

  1. Bibliografia e Referências

ACITELLI, Tom. The Audacity of Hops – The History of America’s Creft Beer Revolution. Chicago: Chicago Review Press, Inc., 2013

OLIVER, Garrett. A Mesa do Mestre-Cervejeiro – Descobrindo os prazeres das cervejas e das comidas verdadeiras. São Paulo: Editora Senac, 2012

HINDY, Steve; A Revolução da Cerveja Artesanal – Como um grupo de microcervejeiros está transformando a bebida mais apreciada do mundo. São Paulo: Editora Tapioca, 2015

HAMPSON, Tim. The Beer Book. London: DK, 2014

CROUCH, Andy Crouch. Great American Craft Beer: A Guide to the Nation’s Finest Beers and Breweries. Running Press. 2011.

Anexo I – History of American Beer Beer Advocate

Anexo I – History of American Beer Beer Advocate

Year Beer Milestone
1587 Virginia colonists brew ale using corn.
1607 First shipment of beer arrives in the Virginia colony from England.
1609 American “Help Wanted” advertisements appear in London seeking brewers for the Virginia Colony.
1612 Adrian Block & Hans Christiansen establish the first known brewery in the New World on the southern tip of New Amsterdam (Manhattan).
1614 The first non-native American is born in New Amsterdam, (perhaps the first non-native American male born in the New World) in Block & Christiansen’s brewhouse. Jean Vigne grows up to become the first brewer born in the New World.
1620 Pilgrims arrive in Plymouth in the Colony of Massachusetts aboard the Mayflower. Beer is extremely short on board ship and the seamen force the passengers ashore to ensure that they will have sufficient beer for their return trip to England.
1632 The West India Company builds a brewery on Brewers Street in New Amsterdam led by Governor Van Twiller.
1633 Peter Ninuit establishes a brewery at Market Field on Manhattan Island.
1634 Samuel Cole is the first to be licensed in Boston to operate a tavern.
1637 First authoritatively recorded brewery in the Massachusetts Bay Colony under the control of Captain Sedgwick.
1639 Sergeant Bauleton is placed in charge of a brewhouse in Providence, Rhode Island.
1670 Samuel Wentworth of Portsmouth obtains the first license to brew beer in New Hampshire.
1683 William Penn’s colony erects a brewery at Peonshury near Bristol, Pennsylvania.

William Frampton erects the first brewery in Philadelphia on Front Street between Walnut and Spruce at the Dock Street Creek.
1734 Mary Lisle, the first known “brewster” in America, takes over her late fathers Edinburgh Brewhouse in Philadelphia, which she operates until 1751.
1738 Major William Horton builds the first brewery in the deep south at Jekyll Island, Georgia.
1754 George Washington enters a beer recipe in his notebook.
1762 The Theory and Practice of Brewing by Michael Combrune is published. This is the first attempt to establish rules and principles for the art of brewing.
1765 The British Army builds a brewery at Fort Pitt (Pittsburgh, PA). The first brewery west of the Allegheny mountains.

A brewery is built in the French colonial settlement of Kaskaskia in what is now Illinois. It is the first brewery outside the 13 colonies.
1772 A mixture of dark to light malts called “Porter” is concocted in England. Exports begin to America but it fails to gain popularity.
1774 Robert Smith begins a modest ale brewing venture at Saint John & Noble Streets in Philadelphia. Through relocations and buy outs, the Robert Smith brand will survive until 1986 – 212 years.

The Single Brothers Brewery and Distillery opens in the Noravian religious settlement of Salem, North Carolina.
1775 Revolutionary War measures by Congress include rationing to each soldier one quart of Spruce Beer or Cider per man per day.
1789 George Washington presents his “buy American” policy indicating he will only drink porter made in America.

Massachusetts passes an Act encouraging the manufacture and consumption of beer and ale.
1792 New Hampshire agrees not to tax brewing property.
1793 Philadelphia produces more beer than all the other seaports in the country.
1808 Nembers of the Congregational Church in Moreau, Saratoga County, New York form a temperance society.
1810 132 operating breweries produce 185,000 barrels of beer. Population of the country is 7 million.

Jacques Delassas de St. Vrain begins brewing in St. Louis, Missouri (brewery destroyed by fire in 1812).
1815 The American Brewer and Maltster by Joseph Cappinger is published.
1819 A steam engine built by Thomas Holloway is installed in the brewery of Frances Perot in Philadelphia. This is the first engine to be used in beer production in America.

Nathan Lyman starts the first brewery in Rochester, New York.
1820 Brewers report business off due to increased consumption of whiskey.
1826 American Society for the Promotion of Temperance formed in Boston (also known as the American Temperance Society).
1829 American Temperance Society has 100,000 members.

David G. Yuengling opens a brewery in the Pennsylvania coal town of Pottsville. It continues in 1995 as the oldest operating brewery in the United States, still owned by the Yuengling family.
1830 Jacob Roos builds the first brewery in Buffalo, New York.
1832 Secretary of War Lewis Cass cancels the ration of liquor to the military.
1833 William Lill & Co. (Heas & Sulzer) start the first commercial brewery in Chicago and produce 600 barrels of ale in their first year.

Membership in the country’s five thousand temperance societies exceeds one and one quarter million.
1836 United States Temperance Union meets in Saratoga, New York and changes name to American Temperance Union. Principle of total abstinence or “Teetotalism” is introduced.
1837 Rice and Kroener establish the first brewery in Evansville, Indiana.
1840 Philadelphia brewer John Wagner introduces lager beer.
1844 The Fortmann and Company Brewery introduces lager beer to Cincinnati.

Jacob Best starts a brewery in Milwaukee which later becomes the Pabst Brewing Co.
1846 Maine passes prohibition law.
1847 John Huck and John Schneider start the first lager beer brewery in Chicago.
1848 John Roesele starts a lager beer brewery in Boston.

Unrest in Germany causes many Germans to emigrate to America.
1849 August Krug forms a brewery in Milwaukee which evolved into the Schlitz Brewery.

Adam Schuppert Brewery at Stockton and Jackson Streets in San Francisco becomes California’s first brewery.
1850 Mathias Frahm establishes Davenport, Iowa’s first brewery.

431 breweries in the country produce 750,000 barrels of beer (31 gallons per barrel). The population is 23 million.
1852 George Schneider starts a brewery in St. Louis, Missouri. This brewery is the seed of the Anheuser-Busch Brewery.

San Francisco has 350 bar rooms to serve the hard-drinking population of 36,000.

Henry Saxer starts a brewing business (City Brewery) in Portland, Oregon Territory. This brewery was later owned by Henry Weinhard.

Prohibition comes to Vermont.

Prohibition adopted in Massachusetts (repealed in 1868).

Rhode Island enacts prohibition (repealed in 1863).

Territory of Minnesota enacts a short-lived prohibition.
1853 Prohibition voted in for Michigan.
1854 Prohibition begins in Connecticut.
1855 German brewer William Menger starts a lager beer brewery in San Antonio, Texas. This is the first brewery in that city.

Prohibition adopted in New York, New Hampshire, Delaware, Indiana, Iowa, and the Nebraska Territory.
1856 The Benedictine Society of Saint Vincent’s Abbey opens a commercial brewery in their Monastery near Latrobe, Pennsylvania.
1857 The largest brewery in the West is the Chicago brewery of William Lill and Michael Diversey.
1859 Solomon, Taecher & Co. start Colorado’s first brewery, the Rocky Mountain Brewery.
1860 1269 breweries produce over one million barrels of beer for a population of 31 million. New York and Pennsylvania account for 85% of the production.
1861 Internal Revenue System introduced.
1862 Ernest Weisgerber builds Idaho’s first brewery (in Lewistown).

Internal Revenue Act taxes beer at the rate of one dollar per barrel to help finance the government during the Civil War.

37 New York breweries form an association that would officially become the United States Brewers Association in 1864.
1863 161,607 barrels of beer are produced in the New England states.

Thomas Smith, Christian Ritcher, and Henry Gilbert found the first brewery in Montana Territory (Virginia City).
1865 Mathew Vassar, a prominent Poughkeepsie, New York brewer, founds Vassar College, the first privately endowed school for women.

National Temperance Society and Publication House formed in Saratoga, New York.
1866 Internal Revenue issues stamp regulations requiring application of tax stamps to barrels of beer leaving the brewery.

Levin & Co.’s pioneer Brewery in Tucson is the first to operate in the Arizona Territory.
1867 Prohibition efforts in Iowa and New York fail.

3700 breweries in operation in America producing 6 million barrels of beer.
1868 John Siebel opens a brewing school which later becomes the Siebel Institute of Technology.

Publication of the monthly magazine The American Brewer begins in January.
1869 Prohibition Party organized in Chicago.

Another prohibition law enacted in Massachusetts (repealed 1875).

Best Brewing Co. (later Pabst) begins expansion in Milwaukee with the purchase of Charles T. Melms’ Brewery.
1871 A number of Chicago breweries destroyed by fire started by Mrs. O’Leary’s cow: Doyle & Co., Huck, Jerusalem, Lill & Diversey, Metz, Mueller, Sands, and K. G. Schmidt.
1872 Anheuser adopts A and Eagle trademark.

First brewery workers’ strike in New York City.

Prohibitionist presidential candidate James Black draws 5608 votes.
1873 4131 breweries (record number) produce 9 million barrels of beer.

Adolphus Busch begins bottling of beer for large scale shipments at the Anheuser Brewery in St. Louis (bottling was not new – only the magnitude of this venture).
1874 Woman’s Christian Temperance Union formed.
1875 First lager beer in California brewed by Boca Brewing Co. in Boca.
1876 Louis Pasteur publishes “Studies on Beer” showing how yeast organisms can be controlled.
1877 George Ehret of New York is the largest brewer in the country.
1879 Ballantine adopts three ring trademark.
1880 Frederick Salem authors “Beer, Its History and Its Economic Value as a National Beverage.” The book is his argument for beer as a temperance measure. It offers the motto “Beer against Whisky.”

Internal Revenue Department records indicate 2830 ale and lager breweries in operation.

U. S. Brewers Academy established.
1880-1910 Number of breweries declines. Improved methods of production and distribution mean fewer breweries can manufacture more beer. By 1910 number of breweries drops to around 1500.
1882 National Brewers’ and Distillers’ Association formed.
1884 Adolphus Busch of St. Louis and Otto Koehler establish the Lone Star Brewing Co. in San Antonio, Texas.
1885 An injunction closes the John Walruff Brewery in Lawrence, Kansas which had flaunted prohibition laws for five years. He appeals on the basis that prohibition laws constitute illegal confiscation of property.
1886 John Walruff wins appeal in lower courts. Case taken to Supreme Court.

National Union of the Brewers of the United States established.

Abraham Cohen establishes the first brewery in Alaska at Juneau.
1887 United States Supreme Court rules in John Walruff case that Kansas was not depriving Walruff of his property, but merely abating a nuisance and prohibiting the injurious use of that property.

Master Brewers’ Association organized.

Tuscarora Advertising Company formed in Coshocton, Ohio producing a wide variety of advertising items.
1888 Standard Advertising Company founded by H. D. Beach in Coschocton, Ohio in competition with Tuscarora Advertising.

Brewery employees strike in New York, Chicago, and Milwaukee.

A British syndicate under the name New York Breweries Co. is formed through the purchase of H. Claussen & Son Brewing Co. and Flanagan, Nay & Co.
1889 One of the first big brewery mergers takes place. Franz Falk Brewing Co. and Jung and Borchert in Milwaukee merge to form Falk, Jung & Borchert Brewing Co. This brewery was taken over four years later by Pabst.

A British syndicate proposes a plan to merge Schlitz, Pabst, and Blatz in Milwaukee. Schlitz and Pabst decline the offer. Blatz sells part of its business to Milwaukee and Chicago Breweries Ltd.

Eighteen St. Louis breweries merge into the English syndicate St. Louis Brewing Association.
1890 Six New Orleans brewers combine to form the New Orleans Brewing Co.
1892 British syndicates start price wars. Prices in Chicago decrease from $6.00 per barrel to $3.50 and $4.00 per barrel.

Crown cap invented by William Painter of Crown Cork and Seal Co. in Baltimore.

Wood pulp coaster invented by Robert Smith of Dresden, Germany.
1893 Anti-Saloon League founded by Rev. Howard Hyde Russell with the goal of suppressing the saloon.
1898 Beer barrel tax raised to $2.00 during Spanish American War. Beer sales decline.

The Royal Brewery is the first to operate in Hawaii.
1899 The Pittsburgh Brewing Company formed by the consolidation of twenty one Pittsburgh brewers.
1900 Woman’s Christian Temperance Union member Carrie Nation does a hatchet job on the Carey Hotel in Wichita, Kansas.
1901 Ten Boston brewers merge into Massachusetts Breweries Company, Ltd.

Sixteen Baltimore brewers consolidate into the Gottlieb-Bauernschmidt-Straus Brewing Company.

Barrel tax on beer reduced to $1.60.
1902 Barrel tax on beer reduced to $1.00.
1905 Independent Brewing Company formed by fifteen Pittsburgh breweries.
1909 United States Brewers Association yearbook discusses the problems of poor conditions in saloons and the need for a cleanup.
1912 Nine states vote dry.
1913 Webb-Kenyon bill passed prohibiting the interstate shipment of alcoholic beverages to dry states.
1914 Resolution to prohibit liquor through a constitutional amendment loses in the House due to lack of required two-thirds majority vote (197 for, 190 against).

Fourteen states dry.

Secretary of Navy Josephus Daniels orders prohibition of alcohol on Naval ships and Naval installations.
1916 Twenty-three states dry.

Six San Francisco breweries consolidate.
1917 District of Columbia passes a prohibition law.

Distilleries closed by Food Control Law.
1919 18th Amendment to the U.S. Constitution ratified on January 16 calling for national prohibition to take effect one year from the date of ratification.

House of Representatives Bill No. 6810 presented in May by Rep. Volstead establishing the apparatus for the enforcement of prohibition. The bill was passed October 10, vetoed by President Wilson on October 27. The veto was subsequently overridden by Congressional vote.
1920s Near beers brewed during prohibition: Pablo by Pabst, Famo by Schlitz, Vivo by Miller, Lux-O by Stroh and Bevo by Anheuser.-Busch.
1920 Association Against the Prohibition Amendment organized by William H. Stayton.
1921 300 million gallons of “near beer” produced.
1922 Prohibitionist Volstead defeated in Minnesota elections.

Anthony & Kuhn Brewery of St. Louis sold to a laundry.
1923 The Moderation League is formed.
1926 Montana votes to repeal the state prohibition enforcement law. Other states follow suit.
1929 The Women’s Organization for National Prohibition Reform started.
1930 The Crusaders formed protesting the lawlessness, crime, and corruption brought on by Prohibition.

American Brewers Association formed.
1931 American Legion votes for a referendum of national prohibition.
1932 86 million gallons of near beer produced.
1933 The Cullen Bill is passed in March allowing states which did not have state prohibition laws to sell 3.2% beer. It also instituted a $5.00 per barrel tax on beer. On April 7, 1933 the legalization of beer takes effect via the 21st Amendment repealing the 18th.

31 brewers back in operation by June.
1934 756 brewers back in operation.
1935 Canned beer introduced by American Can Company and Krueger Brewing Co. of Newark, New Jersey on June 24.

Schlitz introduces cone top can produced by Continental Can Company.

Falstaff Brewing Co. of St. Louis leases the Krug Brewing Company of Omaha, Nebraska. This touches off a wave of acquisitions by large brewers.
1936 United Brewers Industrial Foundation formed.

Brewing Industry, Inc. formed.
1940 Beer production at level of preprohibition years with half the number of breweries in operation as in 1910.

Barrel tax raised from $5.00 to $6.00.
1941 All brewers’ associations united under the United States Brewers’ Association.
1943 Brewers are required to allocate 15% of their production for military use.
1944 Barrel tax raised to $8.00.
1949-1958 185 breweries close down or sell out.
1950 407 breweries in operation.
1951 Anheuser-Busch of St. Louis builds a new brewery in Newark, New Jersey starting a trend for expansion of breweries.

Barrel tax raised to $9.00.
1953 Anheuser-Busch buys the St. Louis Cardinals baseball team.
1954 First l6oz can introduced by Schlitz.
1959 Aluminum can introduced by Coors of Golden, Colorado.
1960 Aluminum can top introduced.
1961 230 breweries in operation. Only 140 are independently run.
1962 Tab top can introduced by Pittsburgh Brewing Company.
1964 Haffenreffer brews the last beer in Boston. After 300 years of brewing history, the Commonwealth of Massachusetts found itself without an operating brewery.
1965 “Ring Pull” can introduced.
1969 Canned beer outsells bottled beer for the first time.

Fritz Maytag takes ownership of the Anchor Brewing Co. in San Francisco, CA. It is not obvious at the time, but a revolution has begun. He brews high quality beer for non-main stream tastes.
1970 A small group of collectors of brewery advertising items form the first club in the nation devoted to that hobby – The Eastern Coast Breweriana Association (ECBA).
1971 Philip Morris Co. acquires Miller Brewing Co.
1972 State of Oregon becomes the first state to adopt a container deposit law.
1977 The first ale is served in a new brewery in Sonoma, CA. Jack McAuliffe’s venture is short lived, but the New Albion Brewery will become known as America’s first “Micro Brewery”, or “Craft Brewery”.

President Jimmy Carter’s brother debuts his “Billy Beer.”
1978 Homebrewing made federally legal in the United States.
1981 First ever Great American Beer Festival (GABF) is held in Colorado — now America’s oldest and largest beer tasting and competition.
1982 For the first time since prohibition, a brewery is allowed to open that not only sells its’ beer at its’ own bar on premises, but serves food to boot. In Bert Grant’s Yakima Brewing and Malting Co., Inc., the Brew Pub is born.
1983 In January, 51 brewing concerns are operating a total of 80 breweries. This is the low water mark for breweries in the 20th century.

The top six breweries (Anheuser-Busch, Miller, Heileman, Stroh, Coors, and Pabst) control 92% of U. S. beer production.
1984 44 Brewing concerns are operating a total of 83 breweries.

Micro Breweries begin to spread: Riley-Lyon (AR): Boulder (CO); Snake River (ID); Millstream (IA); Columbia River (OR); Kessler (MT); Chesapeake Bay (VA).

Manhatten Brewing Co., in New York City’s SOHO section, becomes the first Brew Pub on the east coast.

Jim Koch establishes the Boston Beer Company.
1990 307 years after William Frampton opened his brewery on Philadelphia’s Dock Street Creek, he is memorialized through the opening of the Dock Street Brewing Co.

Producing 31,000 bbls. of beer, the Sierra Nevada Brewery in Chico, CA becomes the first start up micro brewery to break out of that classification (considered 25,000 bbl or less).
1994 It becomes legal to put the alcohol content of beer on containers.

California begins the year with 84 Micro Breweries or Brewpubs in operation – one more than there were breweries in the nation 10 years earlier.

Attendees at the Woman’s Christian Temperance Union convention are admonished to recapture the spirit of Carrie Nation.

Year end production figures rank the top 5 brewers as: Anheuser.Busch (87.5 million bbls.); Miller (42.6 million bbls.); Adolph Coors (20.3 million bbls.); Stroh’s (11.8 million bbls.); G. Heileman (8.4 million bbls.)
1995 Approximately 500 breweries are operating in the United States, and they are estimated to increase at a rate of 3 or 4 per week.

Todd Alstrom writes his first beer review on a napkin in Northampton, MA; Berkshire’s Steel Rail Extra Pale Ale.
1996 1,102 craft breweries produce 5.3 million barrels; a record 333 new brewpubs and microbreweries open in one year.

BeerAdvocate.com launches.
1997 1,315 craft breweries produce 5.5 million barrels of beer.
1998 1,376 craft breweries produce 5.5 million barrels of beer. A crowded industry feels the strain of such a large number of producers and begins to correct itself, resulting in the closing of many brewpubs and microbreweries across the nation.
1999 1,147 craft breweries produce 5.8 million barrels as the craftbrewing industry begins a period of more stable, consistent growth.
2000 1,147 craft breweries produce 6.1 million barrels of beer.
2001 1,458 breweries produce 6.2 million barrels of beer. Annual dollar volume for craft beer is $3.4 billion. US brewing industry total is $51 billion.

Anexo II Dados da indústria cervejeira dos EUA entre 1910 e 1940

Year Number of Breweries Number of Barrels Produced (millions) Average Barrelage per Brewery Largest Firm Production (millions of barrels) Per Capita Consumption (gallons)
           
1910 1,568 59.5 37,946 1.5 20.1
1915 1,345 59.8 44,461 1.1 18.7
1934 756 37.7 49,867 1.1 7.9
1935 766 45.2 59,008 1.1 10.3
1936 739 51.8 70,095 1.3 11.8
1937 754 58.7 77,851 1.8 13.3
1938 700 56.3 80,429 2.1 12.9
1939 672 53.8 80,059 2.3 12.3
1940 684 54.9 80,263 2.5 12.5

Fonte: Cochran, 1948; Krebs and Orthwein, 1953; and United States Brewers Almanac, 1956.

No comments yet.

Deixe uma resposta